Aberio Christe - Seja Autêntico

21/10/2012

Em Busca da Originalidade

Em Busca da Originalidade

 

Elisa Kravitz procurava uma imagem verdadeiramente original. Sondou os jovens, as crianças e os idosos. Percebeu muitas coisas interessantes: uma menina de aproximadamente sete anos pegando uma bituca de cigarro que o pai jogara no chão e levando-a até uma lixeira. Viu um rapaz, dos seus dezoito anos, com um violão na mão fazendo uma serenata para a amada. Testemunhou uma senhora com cabelos brancos participando de uma corrida com moças jovens.

Essas e outras cenas, apesar da sua beleza, não deixaram a artista plástica satisfeita, continuaria empenhada na busca de um acontecimento mais impressionante. Foi então que viu um mendigo esfregando o ar como se estivesse lavando alguma coisa, mas ele não usava água. Ela se aproximou e notou que ele balbuciava algumas palavras, chegando mais perto pode ouvir: “é preciso lavar toda sujeira deste mundo” – e repetia a mesma frase sem parar.

Ela até pensou em colocar essa cena numa tela, mas logo desistiu. Queria algo ainda mais diferente, pois pessoas perturbadas mentalmente havia bastante na cidade. Lembrou de outras cenas parecidas com essa. Coisas tristes em uma sociedade capaz de enlouquecer muita gente.

        Seguiu pela Rua da Consolação quando pensou que poderia retratar todas as cena: da menininha consciente, do cantor enamorado, da velhinha atleta e do limpador do mundo.

A artista parou de repente, pegou um pincel imaginário e, ali mesmo na calçada, começou a desenhar, em uma tela também imaginária, as cenas que estavam em sua lembrança. Os passantes observavam, curiosos, aquela mulher que fazia gestos estranhos no meio da rua e, com certeza, pensavam: “Essa aí enlouqueceu de vez!”

Quando Elisa Kravitz expôs a sua nova obra já terminada, todos ficaram fascinados com a sua originalidade. Ela pintara a si mesma olhando e desenhando fatos inusitados que ocorrem na cidade.

As coisas, as pessoas e os acontecimentos são mais interessantes, quando nós temos interesses por eles. A nossa vida e as coisas que fazemos são interessantes. O problema é que nós não conseguimos mais perceber o quanto elas podem ser empolgantes.

Então, antes de sair à caça de coisas novas, dê uma olhada na sua própria vida e perceba que ela tem coisas muito valiosas.

 

Aberio Christe 


Escrito por Aberio Christe às 22h14
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   
Histórico

OUTROS SITES
    UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog